Prefeitura de Queimados - Mais Trabalho e Novas Conquistas
Facebook   Instagram   Youtube   Flickr   Blogspot

Noticías


Abolição da escravatura completa 131 anos e tem destaque em Queimados

Diversas atividades lembraram a data no último domingo. Roda de conversa debateu a importância do negro na sociedade

03/06/2019 17:47

SECRETARIA MUNICIPAL DE DIREITOS HUMANOS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA

As comemorações em alusão aos 131 anos da abolição da escravatura tiveram destaque em Queimados. A Prefeitura de Queimados, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Promoção da Cidadania, promoveu neste domingo (2), no auditório do Centro de Esporte e Lazer da Terceira Idade, uma Mesa Redonda sobre o tema ‘Onde estão os negros? Onde estão as comunidades tradicionais de matrizes africanas?”. O evento reuniu cerca de 150 pessoas com a presença de historiadores, representantes de Matrizes Africanas, além da participação da sociedade civil e poder público. 

O dia 13 de maio, não é apenas uma data comemorativa pela libertação dos escravos. Antes de tudo é o momento para reflexão sobre as lutas do povo negro no Brasil, que foram em buscas de seus direitos, dignidade, vida e, acima disso, o respeito. E, hoje, reafirmam o lugar de protagonismo na construção de uma identidade e representatividade social. Mas, quase um século e meio depois, a cor da pele ainda é um componente central das desigualdades no Brasil. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em 2017, negros ganham 1,2 mil a menos que os brancos no Brasil.Os dados são do 4º trimestre de 2017, divulgados em 2018, e fazem parte da Pnad Trimestral, que disponibiliza informações desde 2012.

Decorrente da sanção da Lei nº 3.353, conhecida como Lei Áurea, que decidiu definitivamente libertar o povo escravo da mão de obra barata, a iniciativa teve como objetivo promover um debate sobre a visão da população negra sobre o fim da escravidão. “O Brasil foi o último país a fazer o processo da abolição da escravatura. É por este motivo que estamos aqui, pois é fundamental que exista esse debate para refletir esse processo tão demorado. Infelizmente, ainda sofremos as consequências do escravismo com atos de racismos e preconceitos que é uma realidade do pais”, frisou o Secretário Municipal de Direitos Humanos e Promoção da Cidadania, Luis Macedo.

Durante a programação o publico participou com perguntas à Mesa Redonda formada pelos palestrantes João Gomes Júnior (historiador, pesquisador e militante LGBTQi+), Joile Santana (pós-graduanda em história e cultura africana e Afro-Brasileira) e Ellen Rosa (Professora e Doutoranda em Filosofia), mediada pela coordenadora do Projeto Golfinhos da Baixada, Gisele Castro. Além de um intenso debate, os presentes assistiram a exposição do livro “O Sagrado e o profano: Vivências negras para o Rio de Janeiro” da historiadora Nilma Teixeira Accioli e da apresentação de Capoeira organizada pelo Mestre Sampaio, seguido da deliciosa feijoada ao som do grupo de Samba Som do Crioulo.

Para o historiador, João Gomes, a libertação dos escravos vai além da assinatura da Lei Áurea: “Os livros de história colocam a princesa Isabel como heroína da libertação dos negros do trabalho escravo. Na verdade, a escravidão só teve fim não por vontade da princesa, mas por consequência das transformações  sociais e econômicos do século 19, seguidos de revoltas, fuga dos quilombos, suicídios, que causaram prejuízos para o sistema. Se a escravidão teve seu fim há cerca de 131 anos, no cenário atual não há o que se comemorar”, frisou.

Quem aprovou a iniciativa foi a servidora pública, Kátia Silene (51), representante de Matrizes Africanas, elogiou a iniciativa: “Esse encontro é de suma importância, entre as pessoas de raízes africanas com pessoas de outras denominações e políticos, para refletir sobre o tema. Apesar de se passar 131 anos da Abolição, eu ainda não acredito, ainda sinto na pele o preconceito e o racismo da sociedade, mas tenho muito orgulho de dizer que sou uma mulher negra e que venci pelos meus méritos.”, afirmou a moradora do bairro Vila Dona Branca.

 

Últimas Notícias

keyboard_arrow_left
    

Pacientes da Clínica da Família do bairro Eldorado receberão palestras sobre ‘Prevenção à Depressão’

Além de shows, evento contará com venda de assessórios, estúdio de tatuagem, almoço e motociata de conscientização sobre uso da linha chilena. Entrada é franca.

Prefeitura de Queimados mantém residências terapêuticas que ajudam pacientes com transtornos mentais abandonados pela família

O encontro reuniu cerca de 50 profissionais de saúde e moradores no auditório da SEMUS

Prefeitura também deu início às obras de acessibilidade à nova unidade de saúde que será inaugurada ainda este semestre

O cronograma já conta com datas previstas para depósito das duas parcelas do 13º salário

O encontro acontecerá nesta segunda (20), no auditório da SEMUS

Em reunião realizada nesta segunda (13), prefeito Carlos Vilela assinou termo de adesão ao serviço, que emitirá documento em 44 minutos

    
keyboard_arrow_right
Facebook     Twitter     Youtube     Flickr     Blogspot